Foto: Tuerê



Fish

NOTAS SOBRE:


"A maior necessidade do mundo é a de homens; homens que não se comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus" - Ellen G. White.



quarta-feira, 9 de março de 2011

COOMIGASP: GASTO MILIONÁRIO

Fortuna era o que milhares de garimpeiros perseguiam no extinto garimpo de Serra Pelada, na década de 1980. Hoje, é o que a Coomigasp (Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada), uma das muitas entidades que os representam, está gastando com despesas mensais, desde que foi assinado acordo de extração com a empresa canadense Colossus Minerals Inc.

A mineradora repassa à Cooperativa mensalmente 300 mil reais, dinheiro que não estaria dando sequer para cobrir as despesas da entidade, algo em torno de 3,6 milhões de reais por ano.
A informação foi confirmada nesta quarta-feira (9), em Marabá, pelo próprio presidente da Coomigasp, Gessé Simão de Melo, durante encontro com garimpeiros na área de shows do clube Stop Todde.
O encontro foi uma espécie de prévia para a assembleia ordinária da categoria, marcada para o próximo dia 27 deste mês.
Falando à Imprensa, logo após a reunião, o presidente da Cooperativa disse que atualmente mais de 29 mil garimpeiros estão adimplentes com a entidade. A contribuição mensal de cada cooperado é de 5 reais, o que, somado ao repasse da Colossus, dá à Coomigasp quase R$ 450 mil de arrecadação.
O poster quis saber de Gessé Simão onde está sendo empregado tanto dinheiro. Ele evitou detalhes, explicando apenas que o recurso tem sido utilizado para “o pagamento do custeio operacional”, que seria aluguel das sedes de delegacias regionais da Coomigasp, gastos com energia, telefone, funcionalismo e outras despesas fixas. “Nós temos 15 delegacias funcionando em todo o país, porque antes o garimpeiro não tinha acesso à Cooperativa, quem morava lá em Teresina, no Piauí, pra chegar aqui era uma complicação muito grande. Hoje, lá tem delegacia e ele resolve lá mesmo a situação dele”, argumenta Gessé Simão, acrescentando que a diretoria também é remunerada. São 18 diretores, cada um recebendo salários mensais que vão de R$ 800,00 a R$ 5.600,00.
No próximo dia 27, receitas e despesas da Cooperativa serão apresentadas aos cooperados, durante assembleia geral na cidade de Curionópolis. Na pauta do encontro, além da prestação de contas, haverá eleição do novo Conselho Fiscal da Coomigasp e será feito o fechamento do quadro social da Cooperativa.

2 comentários:

Pedro Gomes disse...

Tá explicado o motivo de tanta briga pela presidência da Coomigasp...não é brincadeira a grana que essa entidade põe na mão todos os meses. Enquanto isso, o problema dos garimpeiros segue sem solução e vai se arrastando por vários anos...

Parece que estão esperando o último garimpeiro morrer para que alguma decisão seja tomada.

Laércio Ribeiro disse...

Pedro, meu amigo, convenientemente, esta tal Coomigasp deveria chamar-se COOMIGAST, isso mesmo, com T no final.

Arquivo do blog