Foto: Tuerê



Ocorreu um erro neste gadget

NOTAS SOBRE:


"A maior necessidade do mundo é a de homens; homens que não se comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus" - Ellen G. White.



segunda-feira, 31 de maio de 2010

CURIOSIDADES DO FUTEBOL

***** A primeira seleção bicampeã mundial na história das copas, de forma consecutiva, foi a Itália, em 1934 e 1938. O Brasil igualou essa marca em 1958 e 1962. Nunca mais ninguém repetiu o feito.


***** Pouco antes de começar a Copa de 66, a Jules Rimet foi surrupiada. A Polícia Britânica iniciou investigações, mas não conseguia encontrar o bendito troféu. Até que um dia, David Corbett estava passeando pelas ruas de Londres com seu cachorro Pickles, quando este encontrou um embrulho de jornais debaixo de uma cerca viva. Era a Jules Rimet! Corbett ganhou 3 mil libras por ter achado a taça, e Pickles, um fornecimento vitalício de ração. Infelizmente, o fornecimento durou apenas um ano, pois Pickles morreu em 1967, enroscado em sua própria guia enquanto caçava um gato. David Corbett falou, anos mais tarde em uma entrevista, que teve diversos outros cachorros, "mas que nenhum deles se igualou ao Pickles".
 
***** Hakan Sukur, meio-campo da seleção da Turquia, marcou o gol mais rápido das Copas. Foi em 2002, na semifinal que a seleção turca fez contra a Coreia do Sul. Sukur fez o gol, o primeiro da partida aos 12 segundos, ao pressionar a saída de bola dos zagueiros coreanos. Os turcos venceram o duelo asiático por 3x2, e ficaram em terceiro.
 
***** João Coelho Neto, o Preguinho, foi o primeiro jogador a marcar um gol para a representação canarinho em uma Copa do Mundo. Mas o Brasil perdeu aquela que foi sua primeira partida na história das Copas: 2x1 para a Iugoslávia, que acabaria em quarto lugar daquela Copa de 30.


***** Leônidas da Silva, o "Diamante Negro", foi o primeiro artilheiro brasileiro de uma Copa do Mundo. Fez sete gols em 1938, quatro deles nas oitavas de final, contra a Polônia.

CASO ANA KARINA

Depois de duas semanas de investigação, a polícia parece ter elucidado o caso da comerciária Ana Karina Guimarães, de Parauapebas, desaparecida desde o dia 10 deste mês de maio. O fazendeiro Alessandro Camilo, após 5 horas de depoimento, confessou o crime na madrugada desta segunda-feira (31/05). Saiba mais aqui, aqui, aqui e aqui.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

ASSALTARAM O BLOGUEIRO

Neste momento, circula pela cidade notícia de que o jornalista Hiroshi Bogéa, blogueiro e proprietário da produtora "Vídeo V", acaba de ser vítima da famigerada saidinha. Os assaltantes teriam esperado Hiroshi na porta do banco e, assim que ele saiu, armaram-lhe a arapuca, levando dele quatro mil reais. Como ele certamente diria: Ô raça!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

RIR PARA NÃO CHORAR

Os pronunciamentos dos moradores da Região do Contestado, durante a sessão da última terça-feira (25), em Marabá, levaram o espectador de um extremo ao outro. Houve quem contasse histórias trágicas da experiência deles, vendo crianças e velhos morrerem se esvaindo em sangue, por falta de uma ambulância ou mesmo estradas trafegáveis que permitissem o socorro antes da morte, como contou o manifestante Dimas Rodrigues; mas houve também quem conseguiu arrancar risos do plenário, como o fez o septuagenário, José Maria da Silva (foto). Ele contou que entre 2006 e 2007, numa reunião com assentados do PA Alto Bonito, que fica perto das suas terras, no Projeto de Assentamento Terra Roxa, alguém chegou com a notícia de que logo a região iria contar com os serviços do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). “O pessoal ficou muito animado”, observou ele. Algum tempo depois, enquanto as crianças saíam da escola, apareceu por lá um helicóptero. Foi aquele alvoroço. “Aí uma criancinha chegou pra mim e perguntou: ‘Seu Zé, aquilo é o Samu?’, contou o septuagenário, enquanto todos se matavam de rir.

SENTADOS NA FILA


Agora é lei. Todas as agências bancárias, em Marabá, deverão oferecer assentos para quem espera nas filas por atendimento. Projeto de lei do vereador Edivaldo Santos (PPS) que dispõe sobre a obrigatoriedade de cadeiras e senhas em bancos e casas lotéricas foi sancionado pelo prefeito Maurino Magalhães.

De acordo com o que dispõe a Lei, além de esperar sentado, o usuário tem direito a senha que apresente número, horário de emissão e, inclusive, o tempo previsto para atendimento.
Ainda segundo a Lei, 30% dos assentos serão reservados para idosos, gestantes, lactantes, obesos e portadores de necessidades físicas.
Desobediência à referida Lei, sujeita a casa bancária, ou lotérica, a multa de R$ 3 mil ou R$ 6 mil em caso de reincidência, podendo, ainda, haver a suspensão do alvará de licença e funcionamento, até a regularização da situação junto ao Poder Público Municipal.
Uma perguntinha cretina: como é que vai ficar aquela fila gigantesca que chega a virar o quarteirão e todas as semanas se forma na Caixa Econômica Federal da Marabá Pioneira? Pelo visto, vão entregar aos clientes a senha e de embalo o tamborete.

PAVAROTI NEGRO

A imprensa internacional acaba de noticiar a morte do tenor sul-africano Siphiwo Ntshebe (alguns garantem que a pronúncia do nome é SIFIRRÔ). Conhecido em seu país como "Pavaroti Negro", ele participaria do show de abertura da Copa do Mundo, dia 11 de junho. Brasileiro não tem jeito, mesmo. Algumas mentes mais espirituosas já estão fazendo trocadilho, dizendo que o Pavaroti Negro sifirrô.

TACADA DE MESTRE

O deputado estadual João Salame (foto) conseguiu, ontem (25/05), mais um grande feito do seu mandato parlamentar. Graças às suas articulações políticas, ele garantiu R$ 6 milhões para o município de Marabá do bolo de R$ 366,7 milhões que a Assembleia Legislativa autorizou o Governo do Estado contrair de empréstimo, junto ao BNDES. O dinheiro deverá ser empregado em projetos de pavimentação no município. Mas o prefeito Maurino Magalhães deverá fazer a sua parte. Terá de elaborar os projetos e preparar toda a documentação necessária em tempo hábil, do contrário, deixará escapar mais esse importante recurso, como aconteceu recentemente com emenda de R$ 1 milhão do deputado Asdrúbal Bentes.

QUIPROQUÓ NA CÂMARA DE MARABÁ

O clima ficou tenso ontem (25/05), na Câmara Municipal de Marabá, durante a sessão. Por pouco o vereador Nagib Mutran (PMDB) não se atraca aos tapas com um humilde lavrador, lá da região do Contestado, área de assentamentos localizada quase na fronteira com o município de Parauapebas. O lavrador fazia parte de um grupo de aproximadamente 250 pessoas que veio a Marabá pedir providências para a situação de abandono lá no Contestado. A certa altura da sessão, Nagib questionou o fato de os manifestantes serem eleitores de Parauapebas e não de Marabá. Foi aí que começou o entrevero. O plenário ficou todo agitado e começou a protestar contra as palavras do vereador, que também passou a falar em tom cada vez mais exaltado. Em determinado momento, Nagib saiu da tribuna e, com o dedo em riste, mandou um dos lavradores se calar porque ele, Nagib, não tinha obrigação de ouvir alguém que sequer votou nele. A sessão se transformou num rebuliço só e só voltou à normalidade graças à turma do "deixa-pra-lá" e depois que a PM chegou ao local.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

ABATIDO O LEÃO - O ÁGUIA É CAMPEÃO


A ave abateu o felino.

O Águia de Marabá levou a melhor na final do 2º Turno do Parazão 2010 e sagrou-se campeão em cima do Remo, no último domingo (23/05). Agora, todas as energias serão concentradas na expectativa de também vencer o Paysandu, domingo que vem, no primeiro jogo da grande final do Campeonato. A imagem ao lado é uma montagem do designer marabaense, Netto Marabá.

domingo, 23 de maio de 2010

CASO ANA KARINA




Saiba aqui as últimas sobre o caso Ana Karina, a comerciária grávida
de Parauapebas desaparecida misteriosamente há duas semanas, às vésperas de dar à luz.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

MALHA FINA

A delegacia local da Receita Federal acaba de divulgar os números da malha fiscal 2010. De acordo com o relatório, 2.726 contribuintes de Marabá caíram na malha fina. Na 2ª Região Fiscal, que compreende os estados do Pará, Amazonas, Rondônia, Amapá, Acre e Roraima, a quantidade de declarações que não passaram pelo crivo do leão foi 42.260. No território paraense, caíram na malha fiscal 15.637.
Contribuintes retidos em malha deverão consultar o site da Receita Federal do Brasil (http://www.receita.fazenda.gov.br/) e verificar a sua situação consultando seu extrato de declaração. O contribuinte após a consulta tem dois procedimentos a fazer:
Primeiro: Se na declaração constam dados incorretos: o contribuinte poderá fazer a declaração retificadora.
Segundo: Se a declaração está correta: o contribuinte pode se autointimar agendando seu atendimento no site da Receita ou o contribuinte pode aguardar o recebimento da intimação em sua casa.
Caso o contribuinte agende atendimento ou seja intimado não poderá mais retificar a declaração e deverá comparecer com a documentação probatória na delegacia local da Receita Federal, no horário agendado ou dentro do prazo da intimação.

CPI EM SÃO FÉLIX DO XINGU

A temperatura tende a esquentar em São Félix do Xingu por conta de denúncia de fraude na gestão da merenda escolar naquele município. Na sessão da última terça-feira (18/05), os vereadores Elias de Almeida (PDT) e Silvando de Souza (PL) entraram com pedido de instauração de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar as denúncias. A proposição foi aprovada com voto favorável de sete dos nove vereadores presentes. Votaram contra: Gonçalves de Souza Araújo (PPS) e Wanderson Alves de Souza (P C do B).
Os membros da CPI, os vereadores Elias de Almeida, Domingos Crispim de Almeida (PT) e Faustino Santos da Silva (PMDB), têm 30 dias para apurar o caso e preparar o relatório.

LUTO NA BLOGOSFERA

A blogosfera está desfalcada. Ontem à noite morreu um de seus importantes integrantes - o jornalista Walter Rodrigues. Saiba mais aqui.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

CASO SÃO MIGUEL DA CONQUISTA

A ameaça de despejo dos moradores que ocupam o bairro São Miguel da Conquista, em Marabá, parece estar quase descartada. É que as negociações entre as partes já começaram e caminham para um desfecho favorável.


Na tarde da última terça-feira (18), o pecuarista Aurélio Anastácio de Oliveira, o filho dele, Sucarno de Oliveira, e o advogado da família, Félix Marinho, se reuniram com o presidente da Associação de Moradores do Bairro São Miguel da Conquista, Rivaldo Ferreira, e o advogado Marden Novaes, que representa os interesses dos ocupantes da área. O encontro aconteceu na sede da Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e foi mediada pelo presidente daquela entidade, o advogado Haroldo Silva.

Para os envolvidos, a reunião foi proveitosa e garantiu alguns avanços. Mas nada do que foi encaminhado nesse primeiro encontro é definitivo, porque as partes ainda precisam complementar algumas informações para, finalmente, formalizar um acordo.

A princípio, ficou acordado que os terrenos serão negociados com os ocupantes e os lotes serão enquadrados em três faixas de preço. Os lotes mais caros seriam negociados no valor de R$ 30 mil e os mais baratos a R$ 12 mil; os intermediários sairiam por R$ 20 mil.

O número de parcelas foi dilatado para 60 prestações mensais, sem juros. Inicialmente, Aurélio Anastácio havia proposto dividir o pagamento dos lotes em 36 vezes.

Os contratos serão assinados individualmente, ou seja, cada morador será responsável pelo adimplemento de suas prestações e não a Associação de Moradores.

Rivaldo Ferreira ficou de reunir-se com as famílias, no próximo sábado (22), para informar do andamento das negociações.

DOR DE CABEÇA

Embora haja otimismo da parte dos envolvidos nas negociações, certas situações devem complicar a formalização de um acordo no Caso São Miguel da Conquista. É que existem alguns pontos bastante complexos. Um deles é que, como a ocupação se deu de forma desordenada, nem todos os lotes têm a medida padrão de 12,50 por 25 metros. Na verdade, consta que a grande maioria dos terrenos teve seu tamanho reduzido, ficando com tamanho de 10 por 25 metros. Isso deverá causar uma grande dor de cabeça quando da emissão do título definitivo, com registro no Cartório de Imóveis.


Outro problema é que há na área de ocupação lotes que Aurélio Anastácio havia vendido para terceiros e foram invadidos. Esses não poderão entrar na negociação.

O pecuarista ficou de apresentar a relação desses terrenos, mas como encontrá-los numa ocupação em que os limites originais já se perderam? Esses são apenas alguns dos complicadores que os envolvidos na negociação vão encontrar.

HILÁRIO PREFEITO

O vereador Antônio Hilário Ribeiro, o Antônio da Ótica está prefeito de Marabá, desde ontem. Ele assumiu a Prefeitura porque Maurino viajou, o vice Nagilson não quer mais saber de política e a presidente da Câmara, vereadora Júlia Rosa, também está de viagem. Como Hilário é o vice-presidente do Legislativo, não restou outra alternativa à nossa triste sina. Na tarde desta quarta-feira (19/05) ele convocou a imprensa para uma coletiva no Palacete Augusto Dias (Câmara Municipal). Como já era bastante previsível, ele mobilizou jornal, TV e rádio pra dizer nada com nada. A coletiva era pra dizer que estava feliz com o cargo. Realmente, ele é HILÁRIO! Felizmente, sua interinidade meteórica acaba amanhã (20/05).

segunda-feira, 17 de maio de 2010

CAOS NO BANCO DO BRASIL DA NOVA MARABÁ

Desde a última terça-feira (11), quem vai à agência do Banco do Brasil da Folha 32, em Marabá, tem uma desagradável surpresa. Faz uma semana que, desavisadamente, não há expediente naquela casa bancária. O pior é que ninguém dá informações aos clientes, muito menos previsão de normalidade no ambiente da agência. No máximo, a gerência informa que houve um “problema técnico”.

EFEITO DOMINÓ

Dependendo da demanda, o cliente é orientado a buscar atendimento nas outras duas agências do Banco do Brasil existentes na cidade – a da Pioneira e a da Praça São Francisco, no núcleo Cidade Nova. Nessas duas unidades, se o atendimento já era ruim agora de todo ficou pior.

CAUSA

Segundo o Núcleo de Comunicação da Superintendência Estadual, em Belém, uma carga elétrica queimou duas placas do servidor que alimenta o sistema operacional da agência.
A peça não existe em Belém para reposição e o Banco precisou comprá-la em São Paulo. A instituição acredita que situação estará plenamente resolvida nesta quarta-feira ou, o mais tardar, na quinta.

ALTERNATIVA

Sobre os clientes que estão tendo dificuldade, o Núcleo de Comunicação lembra que muitas das transações estão disponíveis nos terminais de autoatendimento e outras, como o saque de cheques, podem ser feitas normalmente em qualquer uma das outras duas agências existentes na cidade.

REINTEGRAÇÃO DE POSSE

  Advogado Marden vai defender os interesses dos ameaçados de despejo

Mais de duas mil famílias que ocupam uma área urbana em Marabá, o bairro conhecido como São Miguel da Conquista, estão em estado de choque. É que o fantasma de uma liminar de reintegração de posse, expedida pela Justiça desde 2006, ameaça novamente e está tirando o sono de quem achava que o caso era assunto encerrado.
Na última quarta-feira (12/05), o juiz César Dias de França Lins convocou uma audiência com os envolvidos e deu um ultimato para que as partes encontrem uma saída conciliatória ou, do contrário, vai determinar a desocupação da área.
Participaram da reunião, além dos envolvidos diretos, representantes da Procuradoria Geral do Município (Progem), da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) e da Câmara Municipal.
Segundo consta, o juiz foi duro com a representação dos moradores, e teria chegado ao ponto de dizer, a certa altura da audiência, que se o caso estivesse com ele desde o início, a situação já teria sido resolvida.
O bairro São Miguel da Conquista é de propriedade do pecuarista Aurélio Anastácio de Oliveira e encontra-se ocupado desde março de 2006. Na época, a Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH) ingressou com recurso na Justiça – um interdito proibitório – a fim de barrar o cumprimento da liminar de reintegração de posse.
Durante a audiência do dia 12 de maio, Aurélio Anastácio teria proposto negociar os terrenos com as famílias a partir de três faixas de preço, dependendo da localização do imóvel. Os lotes mais caros seriam negociados no valor de R$ 30 mil e os mais baratos a R$ 15 mil; os intermediários sairiam por R$ 20 mil, sendo que o montante seria divido em até 36 parcelas mensais.
O representante dos moradores achou caro o valor e sugeriu uma redução, compatível com avaliação legal. Também propôs a participação da prefeitura no sentido de subsidiar parte do custo. O titular da SDU, Regivaldo Carvalho, presente na audiência, teria adiantado que o município não tem condições de oferecer nenhuma ajuda financeira.
No final da reunião, o juiz concedeu o prazo de 20 dias para a prefeitura, “se quiser, se manifestar nos autos sobre qualquer possibilidade de resolver o problema apresentado. Ficou designada a data de 26 de agosto de 2010 para nova audiência.

OTIMISMO

Ouvido pela reportagem, o advogado Marden Novaes, que representa os moradores do bairro São Miguel da Conquista, disse que vê com otimismo a possibilidade de um desfecho satisfatório para o caso da ocupação. Ele destacou que está contando com a sensibilidade da administração municipal e do Governo do Estado, no sentido de cumprir o seu papel social e não permitir que tantas famílias sejam jogadas no olho da rua.
O advogado tem até o dia 2 de junho para apresentar uma proposta conciliatória ao proprietário da área. Questionado sobre como vai ficar a situação se não houver avanço nas negociações, ele disse que não enxerga essa possibilidade. “Eu não quero nem pensar que isso ocorra”, declarou.
A vereadora Antônia Carvalho de Araújo Albuquerque, a Toinha (PT), que está acompanhando o caso, disse que a prefeitura precisa abandonar a posição passiva e assumir o seu verdadeiro papel, tomando a frente nas negociações, porque o problema do déficit habitacional é de responsabilidade da administração municipal. Toinha lembrou que a Câmara criou, ano passado, junto com a Superintendência de Desenvolvimento Urbano, um fundo de habitação de interesse social, exatamente com a finalidade de alocar recurso para fins habitacionais. Infelizmente, o fundo ainda não conta com nenhum centavo. “A prefeitura tem condições, sim, no nosso entendimento, de negociar com o proprietário, apresentar uma proposta conjunta com os moradores, para que se resolva de vez essa situação”, asseverou a vereadora.
Falando pela Progem, o advogado Haroldo Silva também demonstrou otimismo e disse estar convencido de que a negociação terá um desfecho positivo. “Nós pugnamos por um acordo entre as partes. E acreditamos que esse acordo vai sair. Até porque este é o melhor caminho, tanto para o proprietário como para as famílias que está ali, ocupando a área”, disse o advogado.
Haroldo Silva é presidente da Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Marabá e falando em nome da entidade, ele disse que há, da parte da Ordem, a preocupação em acompanhar o processo e vigiar para que, no caso de uma desocupação, seja tudo feito dentro dos limites permitidos pela lei. “Nós vamos participar para que não haja excessos no cumprimento dessa decisão. É preciso que as decisões judiciais sejam respeitadas; no entanto, as pessoas que ali estão não são marginais; são famílias carentes de habitação e que precisam ser reconhecidas como tais”.

O PREÇO DA TERRA

O pecuarista Aurélio Anastácio quer receber R$ 41 milhões pelas terras da antiga fazenda São Miguel da Conquista, atualmente transformada em área de invasão.
O valor é considerado alto para os padrões do imóvel, mas se fosse rateado entre as 2.300 famílias, que supostamente ocupam as terras, daria algo em torno de R$ 17 mil, o que seria um valor razoável para um lote urbano em Marabá.
Ocorre que muitas famílias não teriam como desembolsar esse dinheiro, ainda que ele fosse dividido em 36 parcelas mensais.
O advogado Marden Novaes disse que já solicitou uma avaliação da área e deverá ter um laudo pronto dentro de 30 dias.
Segundo Marden Novaes, todos devem procurar a Associação de Moradores do Bairro São Miguel da Conquista até o final do mês para fazer um cadastramento, porque ele vai apresentar os nomes dos representantes dessas famílias ao Judiciário, no início de junho.
A ocupação de São Miguel da Conquista teria hoje uma população estimada em 8 mil pessoas. O bairro já conta com diversas mercearias e outros tipos de comércio e nem todos estão ocupando os terrenos irregularmente. Há alguns lotes que foram adquiridos normalmente antes da invasão.
Em 2008, durante o Seminário pelo Direito à Terra Urbana Regularizada, realizado em Marabá, o representante da Cohab/PA (Companhia Habitacional do Estado do Pará), Antônio Arthur Farias de Souza, informou que a entidade havia enviado uma carta consulta ao Ministério das Cidades, requerendo a liberação de recurso para a desapropriação da área, mas não houve deferimento. O requerimento teria sido feito em 2008, conforme o protocolo número 17.381, e o valor pleiteado era de R$ 5 milhões. Se a verba fosse liberada, o Estado entraria com mais R$ 2 milhões para viabilizar, além da regularização fundiária, também obras de infraestrutura como projetos de abastecimento de água, drenagem, coleta e tratamento de esgotos e rede de energia elétrica.
Segundo o relatório da Cohab, o bairro tinha à época 1.200 famílias

quinta-feira, 13 de maio de 2010

DE VOLTA

Eu sei que devo boas explicações aos leitores do blog por tão gigantesco tempo sem atualizar a página. Contudo, depois de tanto tempo, por que perder tempo com explicações? Vamos logo ao que interessa.

CHUVA DE VENTO

Pra início de conversa, que ninguém se engane com essa história de denúncias contra a gestão da merenda escolar em Marabá. É mais uma daquelas chuvas de vento que, depois de muito barulho, acaba dando em nada. Podem escrever.

NA CHOM

Na tarde desta quinta-feira (13/05), o juiz Cézar Lins, de Marabá, colocou lenha na fogueira do polêmico assunto das ocupações urbanas no município. Com a liminar de reintegração de posse da área denominada São Miguel da Conquista, de propriedade de Aurélio Anastácio, ele convocou as partes para uma audiência no fórum local. Participaram da reunião, além dos envolvidos direto no assunto, representantes da Prefeitura e da Câmara Municipal de Marabá. O juiz deu um prazo de 20 dias para que as partes encontrem uma solução conciliatória, do contrário: vai botar os barracos no chão.

Arquivo do blog