Foto: Tuerê



Ocorreu um erro neste gadget

NOTAS SOBRE:


"A maior necessidade do mundo é a de homens; homens que não se comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus" - Ellen G. White.



sexta-feira, 7 de agosto de 2009

DE OLHO NO LEGISLATIVO

O ex-vereador Leodato Marques anda farejando a possibilidade de voltar a ocupar uma das cadeiras do Legislativo novamente, de preferência, ainda este ano. Ele é suplente de Miguel Gomes Filho, o Miguelito, e foi uma das três pessoas a ocuparem a galeria de honra da Câmara, na sessão da última terça-feira (04/08).

PEC 336

Leodato acompanha com expectativa o andamento da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 336, que prevê o aumento do número de vereadores no país, dos atuais 51.748 para 59.791. Se a PEC for aprovada, ele será contemplado com uma das vagas criadas na Câmara de Marabá.

CASO TONY ROSA

Na primeira sessão pós-recesso parlamentar, realizada na última terça-feira (04/08), pelo menos quatro vereadores fizeram referência ao ex-secretário de Meio Ambiente, Antônio Rosa de Macedo Rodrigues, o Tony Rosa. Todos falaram em seu favor, em face da ação que o Ministério Público Estadual está movendo contra ele, pela acusação de crime de improbidade.

DEFESA

O mais enfático, e o primeiro a tocar no assunto, foi o vereador Miguelito, que não economizou adjetivos para enaltecer o caráter de Tony Rosa. Os vereadores Gerson do Badeco e Vanda Américo se expressaram em tom de solidariedade à vereadora Júlia Rosa, mãe do ex-secretário.

Serena em suas palavras, a vereadora Júlia disse ter certeza de que o filho irá esclarecer tudo no momento oportuno, e finalizou suas palavras afirmando que acredita na justiça dos homens e, principalmente, na de Deus.

BRIGA FEIA

Pouca gente ficou sabendo, mas o prefeito Maurino Magalhães se envolveu em tempestuoso bate-boca com o presidente do Sindimoto (Sindicato dos Mototaxistas de Marabá), Francisco de Assis Barros do Nascimento, na terça-feira da semana passada (28/07).

CHEGA PRA LÁ

O fato aconteceu, segundo o próprio Nascimento, por conta de proposta do prefeito de criar mais 400 vagas no serviço de mototáxi, além das 435 já existentes. O presidente do Sindimoto, que considera tal cogitação um acinte, simplesmente explodiu.

FALTA DE INTELIGÊNCIA

O bloqueio do acesso à Marabá Pioneira pela via do bambuzal no último sábado (01/08), revelou, para alguns, falta de racionalidade da construtora responsável pela obra de duplicação da Transamazônica. A criação de um desvio no local teria livrado condutores de tamanho transtorno.

PENA DA MARIA

Marmanjo desaforado foi visto na tarde do último domingo (02/08), em Marabá, tocando uma mulher a socos e pontapés pelas ladeiras da Avenida Itacaiúnas, no núcleo Cidade Nova. Como o ditado ensina que “em briga de marido e mulher não se mete a colher”, os moradores da rua se limitaram a ficar assistindo, de longe, a cena vergonhosa.

MARIA DA PENHA

Ao que tudo indica, o indivíduo não sabe que a Lei 11.340, a popular Maria da Penha, é rigorosa com quem pratica agressão contra a mulher e, em Marabá, a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) não tem refrescado com maridos metidos a valentões.

FALTOU INTELIGÊNCIA

O bloqueio do acesso à Marabá Pioneira pela via do bambuzal no último sábado (01/08), revelou, para alguns, falta de racionalidade da construtora responsável pela obra de duplicação da Transamazônica. A criação de um desvio no local teria livrado condutores de tamanho transtorno.

PENA DA MARIA

Marmanjo desaforado foi visto na tarde do último domingo (02/08), em Marabá, tocando uma mulher a socos e pontapés pelas ladeiras da Avenida Itacaiúnas, no núcleo Cidade Nova. Como o ditado ensina que “em briga de marido e mulher não se mete a colher”, os moradores da rua se limitaram a ficar assistindo, de longe, a cena vergonhosa.

MARIA DA PENHA

Ao que parece, o indivíduo não sabe que a Lei 11.340, a popular Maria da Penha, é rigorosa com quem pratica agressão contra a mulher e, em Marabá, a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) não tem refrescado com maridos metidos a valentões.

RINDO POR ÚLTIMO

Quem deve estar se divertindo com todo esse imbróglio envolvendo o senador José Sarney é o governador cassado do Maranhão Jackson Lago. Ele foi adversário de Roseana Sarney nas últimas eleições e hoje está fora do poder, vencido pelas investidas impiedosas de uma das mais poderosas famílias do seu estado. Durante a campanha, Roseana e Lago disputavam o apoio do presidente Lula, que acabou pendendo para o lado dos Sarney. Na época, as pesquisas apontavam Roseana com ligeira vantagem sobre seu adversário, mas, nas urnas, Jackson Lago saiu vitorioso. Durante o tempo em que ficou no poder, não teve descanso recorrendo de processos eleitorais que culminaram com a sua cassação.

AÇOUGUEIRO VALENTÃO

Homens da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) em Marabá estão tremendo nas bases para um açougueiro metido a valentão no bairro Liberdade. O camarada vende carne em uma bicicleta totalmente fora do padrão das recomendações sanitárias e, segundo consta, não aceita repreensão de quem quer que seja.

NA FACA

Abordado sobre o assunto, o titular da Divisa, engenheiro sanitarista Rubens Chaves, disse que o homem já foi notificado várias vezes, mas nunca assinou os termos de notificação. “Ele tem fama de brabo. Se bobear, puxa a faca”, alerta o chefe da Divisão de Vigilância Sanitária.

FEIRINHA

Enquanto o prefeito Maurino Magalhães fala em criar mais um novo espaço para colocar os camelôs da Avenida Getúlio Vargas, na Marabá Pioneira, a área da chamada Feirinha, na entrada daquele núcleo, permanece ociosa, simplesmente porque nenhum feirante aceita ir para lá.

FIM DAS OLARIAS

Até 31 de outubro. Este é o prazo para o fim das olarias dentro do perímetro urbano de Marabá. A partir desta data, ninguém mais poderá explorar a atividade, conforme determinação do Ministério Público Estadual. Tem gente duvidando que a imposição seja efetivamente cumprida. Mas o MPE adverte: após o prazo, quem ousar desafiar a ordem será responsabilizado civil, ambiental e criminalmente.

CASO ANTIGO

Desde os tempos de Sílvio Silva, coordenador de Meio Ambiente do governo Veloso, que se tenta por fim à exploração indiscriminada da atividade de oleiro em Marabá. Ele chegou a esboçar a criação de um projeto que previa substituir as olarias por viveiros para criação de peixes.

REVIVER

Em 2005, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), chegou a elaborar um projeto, denominado de Reviver, com o objetivo de revitalizar o rio Itacaiúnas. Mas a proposta nem saiu do papel, por falta de recursos.

OLARIAS NO DIM

Quando foi secretário de Indústria e Comércio, Paulo Lopes também tentou pôr termo ao problema. A ideia dele era levar os oleiros para o DIM (Distrito Industrial de Marabá). Como lá existe uma área baixa rica em argila, os oleiros poderiam utilizá-la sem maiores impactos ao meio ambiente. Paulo deixou a pasta e a ideia acabou ficando no esquecimento.