Foto: Tuerê



Ocorreu um erro neste gadget

NOTAS SOBRE:


"A maior necessidade do mundo é a de homens; homens que não se comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus" - Ellen G. White.



quarta-feira, 29 de julho de 2009

ÍNDIOS SE RENDEM AOS APELOS DA MODERNIDADE


Aquela figura rústica, do índio que Cabral encontrou no Brasil, lá pelos idos de 1500, é uma realidade bem distante na aldeia Mãe Maria, dos índios gavião kyikatêjê e parkatêjê. Quem vai ao lugar pensando encontrar casas de sapé e nativos em vestimenta de pena, com arco, flecha e aljava a tiracolo, volta decepcionado. Surpreendentemente, os índios se rederam aos apelos da modernidade.
As ocas deram lugar a casas de alvenaria, com piso em lajota, cobertas com telha de barro, rebocadas e pintadas. O luar perdeu significado na vida dos mais velhos, já que à noite as conversas são jogadas fora na porta de casa sob o clarão de lâmpadas elétricas. A pescaria da boca da noite foi substituída por outro programa, de branco – ver novela na televisão.
Invariavelmente, cada residência encontra-se munida de uma antena parabólica, além de outras invenções destes tempos modernos: fogão a gás, geladeira, aparelho de DVD e celular.
Os rapazes usam tênis, jeans e cortes modernos no cabelo. Também trocaram os adornos feitos de sementes e pedaços de osso por jóias em ouro 18 quilates.
Na entrada da aldeia, um parquinho daqueles que se vê nas praças das cidades grandes, com escorregador, balanço e gangorra, denuncia o peso da cultura dos brancos na vida dos kyikatêjê.
Mais adiante, tratores estacionados em uma paragem asseguram ao visitante que agora a lavoura também segue novos padrões entre os índios.
Até nos nomes os Gavião estão sofrendo a influência dos brancos. O atleta mais famoso da comunidade parkatêjê tem nome de cientista. Chama-se Einstein Sompré Sena, um jovem maratonista que adquiriu musculatura para o atletismo participando de corrida com toras, um esporte genuinamente indígena. Einstein prepara-se para ser um representante dos parkatêjê nas Olimpíadas de Londres, em 2012.Comentando esse fenômeno de aculturação, Gersem Baniwa, coordenador geral do programa de educação indígena do MEC, presente na I Conferência Regional de Educação Escolar Indígena, realizada na aldeia Mãe Maria, considera que o envolvimento do índio com os meios tecnológicos é algo positivo. Baniwa, que é de uma tribo do Amazonas, refuta a ideia de aculturação. Para ele, o índio não perde suas raízes culturais ao se render aos apelos da modernidade. “Os povos indígenas têm o direito de aprender e adquirir tudo aquilo que de bom os brancos têm – tecnologia, ciência, conhecimento, tudo isso que facilita melhor a vida – sem necessidade de eles abdicarem de suas culturas, suas tradições”, pondera. “E esse povo aqui [os índios kyikatêjê] é um modelo disso. Eles usam tudo de mais moderno, mas ao mesmo tempo mantêm forte a cultura deles. Ou seja, com todo esse avanço tecnológico, estando inseridos no mundo moderno, eles continuam falando a língua, praticando a cultura, as tradições, demonstrando que é possível, sim, essa convivência multicultural, intercultural, de povos diferentes, com cultura e tradições diferentes, numa mesma sociedade”, concluiu.

SECRETARIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

A sede da Secretaria Municipal de Assuntos Comunitários, criada este mês pelo prefeito Maurino Magalhães, vai funcionar na Folha 32 da Nova Marabá, atrás da agência do Banco do Brasil.

CRISE

A Vale fechou o balancete do segundo trimestre deste ano com queda de 81,5% em seu lucro líquido em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado caiu de R$ 7,906 bilhões em 2008 para R$ 1,466 este ano.

terça-feira, 28 de julho de 2009

VIA-CRÚCIS

É um verdadeiro martírio o que o marabaense enfrenta na volta da praia para casa nos finais de semana. Além de escassos, os ônibus quando aparecem estão com gente saindo pelo ladrão. Quem mais sofre são as crianças, muitas vezes pisoteadas por marmanjos cheios da canjebrina.

PROGRAMA DE ÍNDIO

Quem vai de carro próprio, também sofre por conta dos torturantes congestionamentos no final do dia. Definitivamente, a praia por aqui está longe de ser uma opção de descanso.

MARLY SARNEY EM SAMPA

Marly Sarney, esposa do senador José Sarney, ficou de viajar ontem (27) para São Paulo, para se submeter a uma cirurgia ortopédica no hospital Sírio-Libanês. Ela fraturou o osso do ombro direito em 4 lugares, ao cair na última quinta feira, em sua casa, em São Luís.

TRAGÉDIA

Mais um acidente grave na PA-150 envolvendo ônibus da empresa Açailândia. Foi na madrugada do último sábado (25/07), próximo à cidade de Tailândia. Desta vez, houve quatro vítimas fatais. Em novembro do ano passado, ônibus da mesma Açailândia caiu de uma ponte no rio Moju, município de Jacundá, deixando 9 mortos e 26 feridos.

ATÉ QUANDO?

O estado de precariedade da rodovia é, indiscutivelmente, a causa principal dos acidentes quase que diários na PA-150. Já não dá mais nem para contabilizar a quantidade de mortes. O pior é que entra ano e sai ano e ninguém faz absolutamente nada. Já está mais do que na hora dos condutores começarem a chutar o pau da barraca.

GRIPE SUÍNA

É uma pilhéria, considerando a situação de nosso sistema de saúde pública, a recomendação do Ministério da Saúde de que ninguém deve automedicar-se em face de suspeita da gripe suína, ou seja, que diante de qualquer sintoma, deve-se procurar o médico.

MORTE NA FILA

Obviamente que procurar o médico é o melhor caminho. Mas nas circunstâncias atuais, se todo brasileiro decidir seguir à risca essa recomendação, com tamanha escassez de médico na rede pública, vai ser tão grande o atropelo que vai morrer mais gente nas filas dos hospitais do que morreria em qualquer outra circunstância.

BARRAGEM

Rogério Paulo Höhn, membro do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), denuncia que agricultores da região a ser afetada com a construção da usina hidrelétrica de Marabá estão tendo suas propriedades invadidas por técnicos da Eletronorte, os quais estão entrando nas terras para fazer levantamentos sem a anuência dos donos.

PROJETO DE 5 BILHÕES

Denominada de Aproveitamento Hidrelétrico do Araguaia-Tocantins, a barragem é um projeto de R$ 5 bilhões e a obra deverá ser licitada ainda este ano. O lago vai atingir 9 municípios em três estados: Marabá, São João do Araguaia, Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia e Palestina, no Pará; Ananás, Esperantina e Araguatins, no Tocantins; e São Pedro da Água Branca, no Maranhão.

NADA A VER COM ISSO

No episódio que pode culminar com a renúncia de José Sarney (PMDB) da presidência do Senado, os senadores do Pará – Flexa Ribeiro (PSDB), José Nery (PSOL) e Mário Couto (PSDB) – podem bater no peito, empinar o nariz e dizer “eu não tenho nada a ver com isso”. Nenhum dos três votou no peemedebista.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

MIGUELITO NA LISTA SUJA

Tem gente contando os dias e as horas para o fim do recesso parlamentar em Marabá. Querem saber como o Legislativo vai se comportar com o fato de Miguel Gomes Filho, o Miguelito, estar na chamada “lista suja” do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A lista é um cadastro de envolvidos em casos de trabalho escravo e Miguel está entre os elencados.

CAMELÓDROMO

A ideia do prefeito Maurino Magalhães de transformar a Avenida Getúlio Vargas, na Marabá Pioneira, em camelódromo já está dando o que falar. A queixa maior é de quem sempre foi contra a ocupação daquele espaço por vendedores ambulantes e já não via a hora de eles saírem de lá.

ESTORVO

Não é de hoje que lojistas da Getúlio Vargas e adjacências sentem-se incomodados com a presença dos camelôs. Para alguns, além de afetar a estética urbanística daquele centro comercial, os feirantes estorvam o trânsito, tanto de veículos como de pedestres, e ainda representam uma concorrência desleal.

EU, HEIN!

O ex-vereador Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, foi abordado esta quinta-feira (23) por um ativista do movimento pró-emancipação do Estado de Carajás que queria o seu apoio à causa, aqui em Marabá. Ferreirinha, que atualmente exerce a função de diretor do Centro de Integração Regional do governo do Estado na cidade, arrefeceu na hora.

FIEL ESCUDEIRO

Revelando-se um fiel escudeiro de Ana Júlia Carepa, Ferreirinha deu um chega pra lá no convite e não titubeou em dizer que abraçar a causa emancipacionista, sendo homem de confiança da governadora, seria deslavada traição.

MERENDA ESCOLAR

Considerando que foi uma empresa de São Paulo que venceu a licitação da merenda escolar em Marabá, já tem gente prevendo que teremos dissabor semelhante àquele enfrentado com a CMT Engenharia, isto é, o de vermos o recurso do convênio ser levado para bem longe do nosso município com a compra de material em outros estados.

SINDICOM

Paulo Lopes, o titular do Sindicom (Sindicato do Comércio de Marabá) já alertava para isso bem antes de se iniciar o processo licitatório. Em face dessa preocupação, ele chegou a sugerir que a licitação fosse feita de tal forma que amarrasse, no processo, a exigência de que a empresa vencedora priorizasse a aquisição de produtos do comércio local.

PREOCUPADA

A vereadora Irismar Sampaio, ao fazer uso da palavra durante a apresentação pela Vale do projeto Estação do Conhecimento, ontem, na Câmara Municipal, disse que uma de suas preocupações é que a ação morra quando Maurino Magalhães deixar o poder.

NA LATA

Refinado nas palavras, o representante da Vale respondeu de forma incisiva à vereadora, explicando que o projeto não é do prefeito Maurino, nem mesmo da mineradora, mas da comunidade.

ESTADO DO CARAJÁS

O município de Brejo Grande do Araguaia será palco de grande ato público em prol da criação do Estado do Carajás, na próxima quarta-feira (29). O evento é uma iniciativa do Comitê Carajás, entidade criada em 2008 com a finalidade de levantar a bandeira da emancipação.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

ARGH!

Depois do quebra-quebra na sede do Samu, servidores do órgão, segundo jornal local, teriam ameaçado um movimento de demissão em massa caso tivessem que trabalhar desprovidos de segurança. Para evitar um colapso no serviço, a administração municipal tratou de pedir socorro à Polícia Militar, que agora guarnece o local com dois PMs, 24 horas de plantão.

ERA SÓ O QUE FALTAVA

Imagine o que seria se todo trabalhador que se sente inseguro nesta cidade decidisse protestar cruzando os braços e exigindo a escolta de um policial para poder trabalhar. Estaríamos perdidos.

INUSITADO

Taxistas, mototaxistas, motorista de ônibus, bancários, frentistas de posto de gasolina e uma batelada de tantos outros profissionais iriam tirar folga por um bom tempo por aqui; ou a polícia teria que triplicar seu efetivo na cidade para guarnecer tanta gente.

CADÊ O TERRENO?

José Soares de Moura e Silva, que foi assessor de comunicação da prefeitura na gestão do prefeito Onias Ferreira Dias, quer saber o que foi feito de terreno que foi doado à época, à Associação de Imprensa de Marabá (Assim). A área, localizada no núcleo São Félix, deveria abrigar a sede campestre da entidade.

CANAÃ DOS CARAJÁS

Tem gente ansiosa em Canaã dos Carajás para saber como será o comportamento do vereadores nas primeiras sessões pós-recesso, por conta da denúncia no Ministério Público Federal contra o presidente da Casa, vereador Omilton Ricardo de Oliveira. O parlamentar foi alvo, recentemente, de diversas acusações, inclusive de estar envolvido com pedofilia.

ESTRANHO

Tem médico do Hospital Municipal de Marabá prescrevendo remédio sem assinar a receita. Está apondo apenas carimbo. Esta semana, quando certo paciente observou a incorreção e quis remendar, o doutor reagiu com um pronto “não precisa”.

VAI ENTENDER

E o doutor estava com a razão. Encafifado, o paciente saiu e entrou com a receita sem assinatura na primeira farmácia que encontrou, cético de que fosse atendido. Mas foi. Resta saber o que os conselhos de Medicina e Farmácia acham disso.

INVASÃO

Amanhã (24/07) é aniversário de dois anos da famosa “Invasão da Lucinha”, espólio de Manoel Sebastião de Barros. A área, hoje batizada de Bairro da Paz, encontra-se ocupada por mais de 2 mil famílias e já foi palco de inúmeros assassinatos.

LIMINAR

Em 3 de agosto, dez dias depois que ocorreu a ocupação, a juíza Maria Aldecy de Souza Pissolati expediu liminar de reintegração de posse, determinando que a área fosse desocupada. Hoje, 720 dias depois, a ordem judicial nunca foi cumprida.

COMISSÃO BRANDÃO

Frede Souza da Silveira, atual presidente da Comissão Brandão Pró-Emancipação do Estado do Carajás, deverá ficar à frente da entidade somente até 15 de setembro próximo, quando deverá haver eleição para escolha da nova diretoria.

terça-feira, 21 de julho de 2009

ALÔ, MINISTÉRIO PÚBLICO

É cada vez mais comum a presença de crianças na Praça São Francisco, em Marabá, envolvidas com a famigerada venda de DVDs piratas. Pior que o trabalho infantil, que não encontra amparo em lei, é o fato de estarem expostas à pornografia que grassa escancarada nas bancas dos vendilhões.

CADÊ O CONSELHO TUTELAR?

Como é do conhecimento de todos, os DVDs com filmes pornográficos, via de regra, vêm em encartes repletos de imagens não recomendadas a menores de 18 anos. Essas peças são manuseadas despudoradamente na praça por meninos de 10, 12, 14 anos, a olhos vistos, como se isso fosse praxe das mais irrepreensíveis.

MÃE JOANA

Com todas as letras, expor crianças à pornografia, da forma que vem acontecendo na Praça São Francisco, é exploração sexual da grossa. Ou as autoridades fazem alguma coisa, ou seremos obrigados a admitir que isso aqui virou a casa-da-mãe-joana.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

FOFOCA NO PEBA

Uma suposta notícia bombástica que deverá abalar os alicerces da política em Parauapebas está deixando muita gente em polvorosa naquela cidade. O assunto foi colocado no ar por um jornal local com o estampido de que a “bomba” poderá explodir a qualquer momento. Enquanto rola solto, o boato deve estar provocando a maior urticação na súcia de políticos-rabo-preso.

DESCUMPRIMENTO

Ontem (20) fez quatro meses que o prefeito Maurino Magalhães assinou, na presença do Ministério Público Estadual, acordo com moradores da antiga Vila Socó, se comprometendo dar a eles novas casas. Pelo prazo decorrido, a segunda cláusula do termo já foi descumprida.

TRÊS MESES

De acordo com a cláusula segunda do acordo, as casas deveriam ser “entregues dentro do prazo previsto de três meses, observando a destinação de áreas para a implantação de posto de saúde, escola e posto de policiamento”. Já se passaram 120 dias e a administração municipal sequer começou a construir as casas.

PREJUÍZO

Enquanto o tempo vai passando, os moradores remanejados da Vila Socó, atualmente morando em casas alugadas pela prefeitura, representam um ônus mensal para o município de 27,6 mil reais. São 92 famílias recebendo 300 reais todo mês. Depois de amanhã (23), deverá ser entregue a folha de cheque referente ao quinto repasse.

PRÉDIO DA CÂMARA

A obra de construção do novo prédio do Legislativo Municipal de Marabá já consumiu, somente este ano, a bagatela de R$ 1.350.319,58. Até que seja concluído, o prédio ainda vai demandar mais de um milhão de reais. O empreendimento está tirando o sono da presidente da Câmara, vereadora Júlia Rosa, que vai ter que inventar recursos para a obra não parar.

ADITIVO

De acordo com o contrato assinado com a empresa responsável pela execução do projeto, o custo inicial da obra era de R$ 3.797.673,93. Por conta de atraso no cronograma de execução dos serviços, a soma já sofreu reajuste de quase R$ 1 milhão, provocado pelo INCC (Índice Nacional de Correção da Construção Civil).

sexta-feira, 17 de julho de 2009

HAJA TEMPO!

O excesso de afazeres tem nos furtado o tempo necessário para atualizar o blog. Já se vão mais de dois meses desde a última postagem. Vamos tentar botar o trem nos trilhos novamente. Que os dias sejam mais longos!

EM SAMPA

Neste período de recesso parlamentar, alguns políticos estão aproveitando a folga para ficar bem longe de seus gabinetes. É o caso do vereador Ronaldo Batista Chaves, o Ronaldo Yara, de Marabá. Ele está em São Paulo, cuidando de assuntos relacionados com a vida pessoal.

SEFFER EM MARABÁ

Quem esteve em Marabá esta semana foi o ex-deputado estadual Luís Afonso Seffer. Ele passou discretamente pela cidade na última quarta-feira (15), na companhia de dois filhos. Aqui, aproveitou para manter contato com alguns amigos, jantou em um restaurante na orla do Tocantins, e seguiu viagem para São Félix do Xingu, onde possui uma fazenda.

GATO ESCALDADO

Seffer renunciou ao mandato em abril deste ano, quando era investigado pela CPI da Pedofilia, acusado de ter abusado sexualmente de uma menina de nove anos. Enquanto jantava em Marabá ele voltou a sustentar sua inocência no caso e disse que, doravante, política nunca mais.

EXTRAORDINÁRIAS

Esta semana vereadores de Marabá voltaram ao prédio do Legislativo para três sessões extraordinárias. Nos dias 13, 14 e 15 eles estiveram reunidos na sala da presidência da Câmara para votar 10 projetos do Executivo. Entre eles, a criação de uma secretaria que terá sua sede em Brasília (DF).

NÓS BUROCRÁTICOS

Com o nome de Secretaria Extraordinária de Representação do Governo Municipal em Brasília, a nova pasta nasce lastreada com a promessa de que será um instrumento de captação de recursos na capital federal e que será uma mão de Maurino em Brasília para “desfazer os nós burocráticos que emperram a liberação de recursos públicos ao município”.

E MAIS

Outros projetos do Executivo Municipal votados pela Câmara esta semana tratam sobre a criação da Guarda Municipal e das secretarias de Turismo, Esporte, Segurança Pública, reestruturação da Procuradoria Geral do Município, e instituição de Regionais Administrativas, espécie de subprefeituras que funcionarão em 5 distritos.

MARIANO ANTUNES

Parente de um dos detentos do Crama (Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes) entrou em contato com a coluna para denunciar que depois da rebelião da última terça-feira (14), os presos estão comendo o pão que o diabo amassou nas garras dos agentes prisionais. Se antes a coisa estava preta, agora infernizou de vez.

CAIU

Francisco Arnilson não integra mais a equipe de Ana Júlia Carepa no Centro de Integração Regional (CIR), em Marabá. Morderam o seu calcanhar esta semana e ele foi exonerado do cargo de assessor de articulação regional, função que assumia desde setembro do ano passado.

CANETADA

Pessoa bastante aplicada, Arnilson literalmente arregaçava as mangas dentro do CIR, fazendo a articulação política em 12 municípios da região. Mesmo assim, não conseguiu escapar da canetada. Agora, ele vai se dedicar as suas empresas e ao xadrez, uma de suas paixões.

Arquivo do blog